TERAPIA DA FALA

A Terapia da Fala consiste no desenvolvimento de atividades no âmbito da prevenção, avaliação e tratamento das perturbações da comunicação humana, englobando não só todas as funções associadas à compreensão e expressão da linguagem oral e escrita, mas também outras formas de comunicação não-verbal.



O Terapeuta da Fala é o profissional responsável pela prevenção, avaliação, diagnóstico, tratamento e estudo científico da comunicação humana e perturbações relacionadas ao nível da fala e da linguagem bem como alterações relacionadas com as funções auditiva, visual, cognitiva (incluindo a aprendizagem), oro-muscular, respiração, deglutição e voz. Neste contexto, a comunicação engloba todas as funções associadas à compreensão e à expressão da linguagem oral e escrita, assim como todas as formas apropriadas de comunicação não-verbal (D/Lei 261/93, de 24 de Julho).

No Centro LOVE4KIDS o Terapeuta da Fala acompanha a criança no seu desenvolvimento comunicativo, dando resposta às dificuldades apresentadas nas seguintes áreas:


LINGUAGEM
É a capacidade humana que permite às pessoas comunicarem entre si e pode ser verbal (oral ou escrita) ou não verbal (gestos).

Divide-se em cinco componentes do sistema linguístico: fonologia, sintaxe, morfologia, semântica e pragmática.
O comprometimento das competências linguísticas põe em causa as interações com o meio.

ARTICULAÇÃO
Consiste na produção de fonemas (vogais ou consoantes). Alterações ao nível da articulação verbal comprometem a clareza do discurso e podem trazer consequências ao nível da aquisição de competências no processo de leitura e escrita.

VOZ
É a ferramenta base da comunicação e transparece aspetos da identidade e personalidade de uma pessoa. Alterações vocais comprometem o ato comunicativo e podem trazer consequências ao nível da autoestima. Neste sentido, importa reeducar e consciencializar face aos maus usos e abusos vocais na infância.

FLUÊNCIA
É a capacidade de encadear sons, sílabas ou palavras da linguagem oral. As perturbações do ritmo e fluência da expressão verbal (ex. gaguez) podem constituir uma barreira ao desejo de comunicar por parte da criança, contribuindo muitas vezes para o seu isolamento face aos momentos de socialização.

DEGLUTIÇÃO
Algumas crianças apresentam alterações no ato de engolir. Estas alterações podem estar relacionadas com fatores neurológicos ou ao nível das estruturas orofaciais (postura da língua, oclusão dentária, entre outros).

MOTRICIDADE OROFACIAL
É área relacionada com o desenvolvimento, habilitação, aperfeiçoamento e reabilitação dos órgãos fonoarticulatórios e região cervical, bem como das respetivas funções estomatognáticas: sucção, mastigação, respiração, fala e deglutição.