CME | Cuevas Medek Exercises

O método Cuevas Medek Exercise - CME, é uma abordagem fisioterapêutica para crianças que sofrem de atraso de desenvolvimento motor causado por uma síndrome conhecida ou desconhecida não-degenerativa que afeta o Sistema Nervoso Central.


Esta terapia pode ser aplicada a crianças a partir dos 3 meses até alcançar e controlar a marcha independente. O uso desta terapia pode ser limitada pelo tamanho da criança e peso, porque o terapeuta praticante de CME precisa de expor a criança à gravidade, através de um apoio distal progressivo.
Esta abordagem foi criada e desenvolvida por Ramón Cuevas, fisioterapeuta chileno, durante os anos setenta em Caracas, Venezuela.


O pressuposto fundamental do CME baseia-se na necessidade de reforçar o potencial de recuperação natural das crianças com compromisso de desenvolvimento. Esta propriedade subjacente do Sistema Nervoso Central continua a impulsionar o processo de desenvolvimento, mesmo após as sequelas estarem estabelecidas.



A reacção natural do "potencial de recuperação" por si só não é suficiente para que a criança adquira as competências do desenvolvimento motor normal. Por este motivo é fundamental que a criança inicie a terapia aquando dos primeiros sinais de alerta de perturbação de desenvolvimento.

O nível final de independência motora alcançado pela criança dependerá dos seguintes factores:

1. O reconhecimento precoce da perturbação de desenvolvimento motor.
2. A existência de potencial cerebral de recuperação.
3. A aplicação atempada de uma abordagem confiável de terapia motora.
4. A execução constante de exercícios apropriada até conseguir o controlo motor total.

CME | Cuevas Medek Exercises

1. Provoca o aparecimento de funções motoras automáticas, anteriormente ausentes.

2. A cooperação e a motivação da criança não são requisitos em fisioterapia CME.
3. Expor a criança à influência natural da força da gravidade com a progressão gradual ao apoio distal.
4. As manobras de alongamento são integradas na fisioterapia CME.
5. A condição de alto tónus muscular nos membros inferiores não é um obstáculo para estimular o controlo de posição em pé.
6. Um período experimental propõe-se demonstrar os resultados a curto prazo de Fisioterapia CME (8 semanas).

 

AVALIAÇÃO E PROGRAMA

Na primeira sessão é aplicado um protocolo de avaliação próprio do CME, com 41 itens, que avalia o desenvolvimento motor da criança, desde o controlo cefálico até à marcha independente. Esta avaliação define a idade motora da criança, o objectivo final do CME é que a criança atinga os 16 meses de desenvolvimento motor, idade em que a criança tem a marcha totalmente independente.

Juntamente com os pais são definidos 3 objectivos de tratamento, estas metas devem ser realistas e conscientes, pois pretende-se que sejam atingidas em 8 semanas.
Após as 8 semanas, a criança deve ser reavaliada, se os 3 objectivos forem atingidos a família é aconselhada a continuar a terapia. Se 1 ou 2 objectivos forem atingidos a família deve escolher se pretende continuar. Se nenhum objectivo for atingido, então é necessário compreender porquê e aconselhar a família a procurar outro meio de reabilitação.

 

INDICAÇÕES

O CME é indicado a crianças com todas as alterações do desenvolvimento motor, nomeadamente paralisia cerebral e síndrome de Down.
As únicas contra-indicações são as doenças degenerativas e a epilepsia não controlada.

Deve sempre ter-se em consideração a sub-luxação/luxação da anca, não constituindo uma contra-indicação mas sim uma limitação.
 

SESSÕES

Cada sessão de CME tem a duração de cerca de 45 minutos e devem ser realizadas 2 sessões por dia.

Os pais têm um programa de casa que deve ser cumprido 2 vezes por dia durante 30 minutos, com excepção dos dias em que a criança realiza terapia com o Terapeuta CME.  

Também existe a possibilidade de a criança realizar sesões 2 vezes por dia com o técnico, durante o tempo pretendido pelos pais, e fazer a continuidade com a frequência definida pelos pais e terapeuta. Esta é a melhor opção para crianças que residem longe e para pais que pretendem potenciar os resultados de uma forma mais eficaz.

As crianças devem sempre ser reavaliadas a cada 8 semanas
Em CME os pais são uma parte integrante da terapia e são incentivados a participar activamente no sucesso dos objectivos, fazendo a continuidade da terapia no dia a dia da criança.

 

MATERIAL

Para o exercício da terapia CME é  utilizado de material específico, com selo de autenticação CME. O kit é composto por 3 caixas com as mesmas medidas, 1 caixa baixa, 1 prancha quadrada, 2 cubos e 2 barras.
Muitas das sessões são realizadas numa marquesa específica.
Assim que a criança tenha condições de se manter de pé apoiada pela coxa, o uso das caixas possibilita ao terapeuta e aos pais todas as possibilidades biomecânicas funcionais para estimular as reacções de estabilidade em bípede, respostas de equilíbrio e marcha.