EDUCAÇÃO CONDUTIVA - PROGRAMAS INTENSIVOS

“Reabilitação através de aprendizagem” 

A Educação Condutiva (EC) é um método único de reabilitação educacional desenvolvido especificamente para crianças e adultos com disfunções motoras de origem neurológicas.

 

A Educação Condutiva é uma pedagogia de movimento, ela vê o indivíduo como um todo e trabalha para promover desenvolvimento motor, verbal, cognitivo, social e emocional. “Quando você não educar o indivíduo a ser independente, você educa o indivíduo a ser dependente” Maria Hari (o ex-diretor do Instituto Petö).

Educação Condutiva é destinado a crianças e adultos com alguma disfunção motora.

 

Em crianças, a EC atende principalmente aquelas que tem paralisia ou lesão cerebral. Em adultos, a EC oferece atendimento para aqueles que sofreram AVC, esclerose múltipla, doença de parkinson e trauma craniano.

O QUE FAZ A EDUCAÇÃO CONDUTIVA

O indivíduo com disfunção motora ou lesão cerebral possui um processo de aprendizagem interrompido. No sistema de EC, o indivíduo não é um destinatário de tratamentos, ele é um participante ativo na restauração do processo de aprendizagem. O principal objetivo da EC é o de incentivar o indivíduo em como resolver as dificuldades que se apresentam numa maneira ativa, fazendo que aquele indivíduo atinge o seu potencial.

A EC pretende estimular ao máximo o desenvolvimento do indivíduo, e motivá-lo a ter vontade de fazer seu trabalho, na busca de uma melhor qualidade de vida. Os efeitos prejudicais de uma lesão cerebral impedem todo o desenvolvimento do indivíduo, portanto, os praticantes de EC (condutores) consideram o indivíduo como um todo e proporcionam uma intervenção global. Com integração de conhecimentos médicos e métodos de ensino, o condutor consegue capacitar o indivíduo a ter controle dos seus movimentos. Mais importante de tudo, a EC aceita os indivíduos como eles são, reconhece as suas qualidades, respeita suas personalidades, e utiliza a sua capacidade de aprender. As conquistas aprendidas através da EC aumenta a confiança, a auto-estima e proporcionam a resolução de problemas.

COMPONENTES DA EDUCAÇÃO CONDUTIVA 

O GRUPO - O grupo é um elemento chave de EC em que os indivíduos trabalham em pequenos grupos com a mesma condição. Dentro da dinâmica de um grupo os participantes enfrentam desafios, compartilham soluções e aprendem novas habilidades.  

O CONDUTOR - O profissional que conduz o trabalho de EC chama-se condutor. Os condutores são professores especialmente treinados após cerca de três anos de formação de nível universitário. Quando um indivíduo apresenta dificuldades motores, o condutor não resolve-las por ele, mas incentiva-o como resolver duma maneira ativa e mais independente possível, com movimentos intencionais. O indivíduo trabalha sempre na busca de soluções, autonomia e independência.

A ROTINA DIÁRIA E A SÉRIE DE TAREFAS - Dentro da rotina diária, o indivíduo aprende a executar movimentos diários para se tornar mais independente no seu funcionamento dentro das suas casas, escolas, ou local de trabalho. As atividades de EC são feitas em séries de tarefas executadas em diferentes posições; deitado, sentado, em pé e caminhando. Cada aula/sessão tem a base das séries de tarefas, mas também trabalha nas áreas de comunicação, manipulação, socialização, alimentação e cuidados de higiene pessoal. Cada série de tarefas é construida por pequenas tarefas (e objetivos) alcançáveis e realizaveis que precisam ser aprendidas, repetidas e aplicadas em diversas situações nas atividades diárias do indivíduo e não somente na presença do condutor. EC fornece a possibilidade de transformar qualquer parte do dia do indivíduo em uma situação de aprendizagem.

A INTENÇÃO RÍTMICA - O método de EC une linguagem, pensamento e movimento em um ato só. Muitas das atividades são feitas com o uso de canções simples que se relacionam com a atividade. Ao emparelhar o ritmo com o movimento, os movimentos tornam-se mais fluidos e as letras das músicas fornecem pistas verbais para a criança.

O AMBIENTE - O Ambiente faz uma grande parte no processo de aprendizagem. Tem que ser seguro, com muita estimulação para motivar o indivíduo. Na rotina de EC usa materiais educacionais para desenvolver as condições cognitivas de cada um. Os móveis são exclusivos para EC e inclui mesas de ripas, cadeiras com encosto de escada e caixas. Os móveis são muitos funcionais, e oferecem múltiplas possibilidades de posições para os particpantes, além de promover alinhamento do corpo.

HiSTÓRIA

A Educação Condutiva foi criado na Hungria em 1945 pelo médico e professor Dr. András Petö. Ele foi um dos primeiros a considerar disfunções motoras não como uma condição médica requerendo tratamento, mas sim como um problema de aprendizagem que requer educação especial. Começando o trabalho dele numa escola de educação especial ele passou anos criando o método de EC com uma equipe dedicada de professores e médicos. Cada ano ele recebeu mais alunos e depois de um tempo a escola não servia mais para realizar o seu trabalho. Em 1952 um novo espaço foi inaugurado, O Instituto Petö (Instituto Nacional de Terapia Motora) no centro de Budapest. Foi no novo instituto que o treinamento de condutores começou a partir dos anos 1960. Ele faleceu em 1967 e o diretoria do Instituto foi passado por uma colega dele, Maria Haria. Por muitos anos não existiu divulgação do método fora da Hungria. Os primeiros a conhecer EC foram outros profissionais na área de saúde e educação, e no primeiro momento o método foi mal interpretado e mal entendido. Nos anos 1980 foi publicado dois videos que chamaram a atenção do público inglês (principalmente os pais de filhos com paralisia cerebral), esclarecendo o trabalho da EC. “Standing up for Joe” (1986) e “To Becky Featherstone Educação Condutiva Hungary with Love” (1987) mostraram imagens do trabalho feito no Instituto e o progresso que os alunos tiveram. A partir deste momento a disseminação da EC em todo o mundo foi por grande parte por causa das famílias que pareciam ter perdido a confiança nos sistemas existentes (da época) de reabilitação. Essas famílias consideram fortemente EC como uma resposta potencialmente eficaz para suas necessidades.

CONDUTORA

Becky Featherstone, é inglesa, trabalha na área de pedagogia e reabilitação com o método de Educação Condutiva. É condutora, formada em 2007 pelo Faculdade de Wolverhampton em Inglaterra, em bacharel de humanidades (com honras) de Educação Condutiva.

" Interessei-me em trabalhar com portadores de defeciência fisica na minha adolescência e fui atrás dos meus sonhos, realizando duas faculdades antes de chegar aos 25 anos. Durante a faculdade trabalhei como cuidadora de pessoas com lesão medular e aprendi a entender e ver a pessoa além das suas dificuldades fisicas, foi uma experiência muita rica. Desde que conheci a EC eu me apaixionei pelo método, e adoro atuar o meu trabalho com os meus incríveis alunos. Trabalho principalmente com reabilitação pediátrica com 10 anos de experiência nesta área, em Inglaterra e no Brasil. "

PROGRAMAS INTENSIVOS

 

 

 

 

Atendimento individual: será realizado por 2, 3 ou 4 horas diárias, 5 vezes por semana, por duas semanas.

 

Atendimento em grupo: será realizado por 3 horas diárias, 5 vezes por semana, por duas semanas, com mínimo de duas crianças e máximo de cinco crianças por grupo.

A condutora vai ser responsável pela orientação do grupo, com participação dos pais e familiares para facilitação das atividades das crianças.

 

Os programas intensivos ocorrem em periodos determinados ao longo do ano.  

  • Wix Facebook page